Planeta Galaxia Wallpaper Nasatv

Plástico: é feito de derivados do petróleo, que é um recurso natural não-renovável, e leva em torno de 450 anos para se decompor na natureza. Uma tonelada de plástico reciclado economiza milhares de litros de petróleo.

Galáxia - Centaurus A - Sobre

Centaurus A - NGC 5128

Centaurus A (NGC 5128) é uma galáxia lenticular (S0) localizada na direção da constelação de Centaurus. Possui uma declinação de -43° 00' 58" e uma ascensão recta de 13 horas, 25 minutos e 29,0 segundos.

A galáxia NGC 5128 foi descoberta em 29 de Abril de 1826 por James Dunlop. Centaurus A está localizada a cerca de 14 milhões de anos-luz de distância, na constelação Centaurus. É uma das radiogaláxias próximas à Terra, razão pela qual o seu núcleo galáctico ativo foi amplamente estudado por astrônomos profissionais.[1] É a quinta galáxia mais brilhante do céu,[1] tornando-se assim num objetivo ideal para a astronomia amadora,[2] embora a galáxia somente seja visível do hemisfério Sul e de baixas latitudes norte.

Um jato que extrai energia da zona que se acredita que seja um buraco negro supermassivo no centro da galáxia é o responsável pelas emissões de raios X e rádio. Com as observações de rádio feitas durante um prazo de dez anos, os astrônomos determinaram que a parte interior do jato move-se com a metade da velocidade da luz. Os raios X são produzidos pelas colisões do jato com os gases circundantes, gerando assim partículas muito energéticas.

Como se observa em outras galáxias starburst, uma colisão é responsável pela intensa formação de estrelas. Usando o Telescópio Espacial Spitzer os cientistas confirmaram que Centaurus A está atravessando uma colisão galáctica devorando uma galáxia espiral.

Centaurus A pode ser descrita como uma galáxia de morfologia peculiar. Como se vê da Terra, a galáxia é parecida com uma galáxia lenticular ou elíptica com uma vereda de poeira superposta.[3] A peculiaridade desta galáxia foi identificada em 1847 por John Herschel, e a galáxia foi incluída no "Atlas de Galáxias Peculiares" (publicado em 1966) como um dos melhores exemplos de uma galáxia "perturbada" com absorção de poeira.[4] A estranha morfologia da galáxia é geralmente reconhecida como o resultado de uma fusão entre duas pequenas galáxias.[5] Esta galáxia é composta principalmente de estrelas vermelhas evoluídas.[3] O disco de poeira, porém, é o sítio de formações estelares mais recentes;[1] cerca de 100 regiões de formação de estrelas foram identificadas no disco.[6]

Uma supernova foi detectada em Centaurus A.[7] A supernova, chamada SN 1986G, foi descoberta dentro da vereda negra de Centaurus A por R. Evans em 1986.[8] A supernova foi identificada mais tarde como sendo uma supernova tipo Ia.[9] Esse tipo de supernova ocorre quando a massa de uma anã branca se torna maior do que a massa máxima que pode sustentar o peso das camadas exteriores da estrela. Esse fenômeno ocorre, por exemplo, quando essa anã branca faz parte de um sistema de binário e recebe matéria da outra estrela. SN 1986G foi usada para demonstrar que o espectro das supernovas de tipo Ia não é o mesmo em todas elas e que podem ser diferentes no jeito como mudem a sua luminosidade ao longo do tempo.[9]

Centaurus A fica no centro de um dos dois subgrupos dentro do Grupo Centaurus A/M83, um aglomerado de galáxias próximo.[10] Galáxia Cata-vento do Sul fica no centro de outro subgrupo. Estes dois grupos são às vezes identificados como um único grupo[11][12] e às vezes identificados como dois grupos.[13] Contudo, as galáxias em torno de Centaurus A e a M83 ficam próximas umas das outras e ambos os subgrupos não parecem ter um movimento relativo entre eles.[14] O aglomerado Centaurus A/M83 fica no Super aglomerado de Virgo.

entaurus A encontra-se localizada a 4° a norte de Omega Centauri, um aglomerado globular visível a olho nu.[2] A galáxia possui uma grande superfície luminosa e um tamanho angular relativamente grande, por isso é o objetivo ideal para as observações de astrônomos amadores. O vulto brilhante central e a vereda de poeira escura são visíveis até mesmo com grandes prismáticos,[2] e a estrutura adicional pode ser observada em grandes telescópios.[2]

Font: wikipedia